NetEase: “procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente”

terminator-2-playersunknown-battlegrounds-1 NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"

A NetEase Games está a procura, feito louca, de um novo sucesso no gênero Battle Royale. A publicadora chinesa lança jogo atrás de jogo, em buscar de replicar o sucesso que obteve no final de 2017. Sucesso esse que, agora, não parece tão fácil como antigamente.

Vamos dar uma olhadinha em como a NetEase chegou até aqui e como seus últimos games não tem gerado o “barulho” esperado.

– NetEase e o sucesso de “Terminator 2”

Antes da moda dos jogos de Battle Royale nos celulares, a NetEase era uma empresa com foco em MMORPGs online. Seu maior sucesso nos celulares até então era o MMO Crusaders of Light.

crusaders-of-light-apk-atualizado-android-1 NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"

Isso mudou quando ela lançou um modo multiplayer versus para Terminator 2, jogo mobile exclusivo do território chinês. O título entrou em beta em janeiro de 2017 e foi lançado em junho daquele mesmo ano.

Meses depois, em agosto, veio a ideia de lançar um modo Battle Royale, inspirado no maior sucesso do PC, na época, Playerunknown’s Battlegrounds. Foi aí que a empresa notou a “mina de ouro” que tinha nas mãos.

terminator-2-playersunknown-battlegrounds-2 NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"

O game simplesmente explodiu na China e países vizinhos.  Sucesso garantido, o modo Battle Royale dominou as partidas no game, e rapidamente a NetEase pensou em replicar o sucesso fora da China, mas tinha um problema: Terminator 2 estava atrelado a franquia de filmes Exterminador do Futuro 2, e não poderia ser lançado no ocidente (A NetEase só tinha direitos de T2 na China).

A solução então foi lançar um jogo separado, baseado na mesma engine, mas sem o modo singleplayer. Nascia em novembro de 2017, Rules of Survival.

Com a mesma protagonista imaginada para T2, Rules of Survival herdou várias coisas do jogo chinês. O game permaneceu com uma temática futurista e algumas construções e veículos ainda eram inspirados em T2, mas nada que geraria problemas para NetEase.

– Knives Out e Survivor Royale

knives-out-2019 NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"
Knivest Out foi, e ainda é, um enorme sucesso, ultrapassando Rules of Survival.

O fato é que pelos corredores da NetEase, já haviam boatos de que a PUBG Corp e Tencent iriam lançar uma versão mobile de PlayerUnknown’s Battlegrounds.

A produtora correu como uma louca e montou várias equipes que trabalhavam incessantemente em projetos paralelos, todos no gênero de Battle Royale.

Assim surgiu Wilderness Action (Knives Out) e Survivor Royale, também no final de 2017. Dois jogos muito parecidos no começo, mas que mudaram bastante. Knives out virou “o irmão bem sucedido” e o Survivor Royale existe ainda apenas para cumprir tabela.

– FortCraft e Creative Destruction

FortCraft-apk-android-4-1024x539 NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"
FortCraft era tão parecido com Fortnite que o processo era quase óbvio.

A verdade é que a NetEase conseguiu um sucesso estrondoso com Rules of Survival e Knives Out. Ambos os games passaram da marca de 50 milhões de jogadores e foram grandes sucessos ao longo de todo o ano de 2018. Mas a NetEase queria mais.

Faltava um “Fortnite” nos celulares. A primeira tentativa da empresa deu tão certo que o tiro saiu pela culatra.

fortcraft-fortnite-interesse-1024x542 NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"
FortCraft tinha tudo para ser o “Fortnite” para celulares fracos. Mas o medo de processo parece ter sido maior. Na foto o interesse do público cresce com o soft launch de Fortnite.

FortCraft foi lançado para ser uma cópia de Fortnite para celulares menos potentes. Ficou tão parecido que eu acho que os advogados da própria NetEase perceberam que poderiam se meter em uma encrenca.

Assim, o projeto FortCraft foi engavetado e Creative Destruction tomou o seu lugar. C.D como é apelidado, mudou várias mecânicas de jogo para ficar o mais diferente possível de Fortnite, e assim, não estimular ações judiciais vindas da Epic Games.

A jogada deu certo. Contudo, começava ali, eu não diria derrocada, mas o processo de “não tão sucesso assim” da NetEase.

Como todos sabem, Fortnite começou a ser lançado no Android em agosto de 2018. Apesar de mais leve, o “clone”‘ Creative Destruction nunca fez o sucesso esperado pela NetEase.

creative-destruction-feb-19-report NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"
Creative Destrucion nunca chegou perto de PUBG Mobile e Free Fire em números de faturamento e downloads.

C.D nunca decolou de fato e sempre ficou ali com o sucesso mediano. Não que o game seja um fracasso, longe disso, mas ficou claro que boa parte do público não entendeu que C.D era a única forma de ter um clone de Fortnite nos celulares.

– Toneladas de Battle Royale

Após C.D não render o esperado a NetEase lançou (ou melhor, colocou em testes) um Battle Royale após o outro. King of Hunters, Ride Out Heroes e Cyber Hunter estão em testes, todos sem previsão de lançamento.

rideout-heroes-cyber-hunter-feb-19-report NetEase: "procura-se um Battle Royale de sucesso desesperadamente"
Novos Battle Royale da NetEase não estão fazendo o sucesso esperado.

Após meses de testes, re-testes e soft launch, ficou evidente que nenhum traria o retorno que Knives Out e Rules of Survival conseguiram.

Recentemente, a NetEase anunciou Disorder, que parece ser mais um Battle Royale para celulares. Ao que tudo indica, o game irá se inspirar em Apex Legends, o único BR a se sobressair depois de PUBG e Fortnite.

– Sucesso em outros gêneros

Curiosamente, a NetEase tem obtido sucesso em outros gêneros de games. Identity V, que é um projeto relativamente simples, rendeu por volta de US$ 3 milhões de  dólares apenas em fevereiro. Mais do que jogos badalados como Rules of Survival e Creative Destruction.

Será que a NetEase vai conseguir mais um BR de sucesso nos celulares? Ou a fórmula de “copiar e colar” já se esgotou? Deixe um comentário.

Publicidade