Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

29 de junho de 2017 . Atualizado 29/06/2017

Gameloft-logo Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

De lançamentos confusos ao esquecimento completo de franquias clássicas, a Gameloft tem errado muito quando o assunto é cuidar do seu amplo portfólio.

Leia também:

– Sem respeito pelo próprio passado

Essa semana, o lançamento do SNES Classic, uma versão compactada do clássico Super Nintendo, comoveu a todos na internet. Não bastasse isso, a Big N anunciou que o videogame será lançado com Star Fox 2 na memória. Isso sim, é que é tratar bem uma franquia. Lançar um console retrô com um game bastante comentado na época, e que sequer foi finalizado no console original.

A Nintendo é excelência quando o assunto é cuidar de suas IP (Intellectual property). Uma empresa que sempre se reinventa em games como Super Mario, The Legend of Zelda e outros. Além disso, foi uma das primeiras na arte de introduzir personagens de um jogo em outro.

Mas no universo dos games, não é algo exclusivo à Nintendo. Empresas como Blizzard adoram introduzir personagens de uma franquia em outra, criando e expandindo a mitologia de cada franquia.

No mundo mobile, eu gostaria de ver um tratamento similar de grandes empresas, especialmente da Gameloft. Contudo, parece que a produtora quer esquecer o próprio passado e vem insistido em focar apenas em novas IPs.

iron-blade-gameloft-android-iphone-ipad-w10 Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

Por que Iron Blade não tem um protagonista de Soul of Darkness ou de Hero of Sparta?

 

Esse descaso com as próprias criações tem gerado algumas situações estranhas e até bizarras, que veremos nos tópicos a seguir.

– Universo expandido que não dialoga

Mesmo com um acervo tão grande de franquias, é de se estranhar que a Gameloft nunca tenha colocado personagens de um jogo em outro. Mesmo parecendo ser algo tão óbvio, e que com certeza os jogadores iriam adorar. Tudo que temos são pequenos e mínimo easter eggs.

Em 2017, uma atualização trouxe uma personagem cibernética para Modern Combat 5. Ela lembra muito Yelena do jogo N.O.V.A, mas não tem relação uma com a outra.

Morph-MC5 Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

Poderia ser a Yelena né gameloft?

Outro exemplo dessa falta de tato em deixar as coisas mais interessantes, é o jogo de luta God of Rome, que já está esquecido pela própria Gameloft. Seria interessante ver guerreiros de Dungeon Hunter ou Order & Chaos. Mais interessante ainda seria ver lutadores de outros jogos de luta da produtora como Blade of Fury (iOS) ou Medieval Combat (Java).

Você lembra daquele título medieval de Justa da Gameloft? E o jogo de estratégia que a empresa lançou no começo da nova geração de smartphones. Não é Siegefall, e nem Total Conquest, muito menos March of Empires, estou falando de Rise of Lost Empires. Percebeu? São tantos jogos parecidos que até seus nomes se confundem.

 

A Gameloft não vai mal no quesito financeiro, mas a empresa perdeu sua relevância no mercado. De protagonista,  passou a simplesmente copiar produtoras menores que vieram depois dela.

 

Quer um exemplo de como a Gameloft não dá a mínima para as próprias franquias que cria? Ela possui quatro IPs focadas na temática zumbi, e nenhuma delas tem conexão uma com a outra.

Zombie Infection, Zombiewood, Ataque Zumbi e Dead Rivals (ainda a ser lançado), todos são jogos com temática de zumbi e, acredite se quiser, mesmo sendo todos da mesma empresa, eles se passam em universos completamente diferentes.

– Soft Launch confuso e desinformativo

A bagunça gerada pelo lançamento confuso do Gangstar New Orleans (GNO) permanece até hoje. E parece que o Modern Combat Versus vai passar pelo menos inferno até os jogadores do Android conseguirem rodar o game.

Esse descuido em deixar bem claro que se trata de um Soft Launch, faz com que tudo seja muito confuso para o usuário comum (não gamer). Quando o GNO foi finalmente lançado no Brasil, ele passou até despercebido no Android. Ainda hoje, grande parte do público pensa que o jogo nunca saiu.

atualizacao-compatibilidade-gangstar-new-orleans-android Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

Lançamento confuso deixou boa parte dos jogadores de fora de Gangstar New Orleans.

Reconheço que a Google Play não é muito preparada para esse lance de Soft Launch regional. Para a loja, basta lançar o jogo como beta global que ele fica marcado como (Unreleashed) ou (Não lançado), no mundo todo.



Publicidade

Em 2017, a Gameloft decidiu que os seus grandes títulos vão passar por esse tipo de Soft Launch confuso, cheio de restrições e que no final não gera o resultado esperado para o público. Ela deveria deixar todos os jogadores testarem. O game não está em Soft Launch? Quando for lançado globalmente a nota nas lojas será zerada. Então qual o problema?

– Clássicos esquecidos no passado

Num passado recente, a Gameloft preocupava-se em trazer a melhor experiência para os jogadores mobile. Os jogos eram essencialmente pagos e a produtora produzia apenas títulos Offline. Tudo isso parece um sonho distante para quem começou a utilizar smartphones de 2013 para cá.

SACRED-ODYSSEY-MOBILE-GAMER-tile Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

Sacred Odyssey, o “The Legend of Zelda” da Gameloft.

Hoje em dia, a empresa continua com sua política forte de criação de novas IPs, mas não toma o mínimo cuidado para tratar bem os clássicos que ainda estão no imaginário popular.

Lista de jogos recentes para iPhone, iPad e Android que foram sucesso já é grande. São games que não ganharam nenhum tipo de sequência e que a empresa raramente fala em seus vídeos ou releases.

– Clássicos Java ainda mais esquecidos

É simplesmente um equívoco ficar criando IPs novas, desesperadamente, todo mês. Os jogos atuais da Gameloft não têm “substância” e, principalmente, apelo para ficarem no imaginário dos jogadores por longo tempo.

soul-of-darkness-gameloft-2008 Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

Cláaaaaassico Java.

Pior do que isso é esquecer o consumidor que viveu toda a era Java e pré-iPhone. Quando vai sair um novo Soul of Darkness? E o novo Castle of Magic?

A lista de franquias que a Gameloft criou na época do Java é absurda (tipo uns 50 jogos), mas vou listar aqui os games mais clássicos e nostálgicos.

  • Soul of Darkness
  • Castle of Magic
  • Alien Quarantine
  • Bubble Bash
  • Cops L.A. Police
  • Date or Ditch 2
  • A série Nights (Paris Nights, Miami Nights)

– De protagonista a coadjuvante no mercado

A Gameloft não vai mal financeiramente, mas perdeu sua relevância no mercado. De protagonista, a empresa passou a simplesmente copiar empresas mobile menores que vieram depois dela.

Antes, a produtora tinha foco em se inspirar em boas ideias de games para consoles. Trazendo jogabilidade marcante e gráficos de ponta. Agora, parece que a Gameloft se resume a tentar emular o sucesso de empresas que começaram depois dela. A última mancada foi um clone de Clash Royale totalmente desnecessário e mal feito.

blitz-brigade-rival-tactic-gameloft Querida Gameloft, já passou da hora de revitalizar franquias antigas

Sério que esse jogo era realmente necessário?

Hoje em dia, os “nomões” do mercado mobile (quem realmente lucra alto) são empresas como Supercell, King e Machine Zone. Até mesmo a Miniclip aparece antes da Gameloft nos jogos mais rentáveis segundo Think Gaming (empresa de análise de mercado para acionistas).

Diante de tudo isso, fica cada vez mais difícil levar a sério os lançamentos da Gameloft. Já passados pela discussão de Freemium vs Premium. Agora a discussão é se os jogos da empresa vão continuar relevantes depois dos seus lançamentos. A empresa não tem emplacado um grande sucesso desde Asphalt 8.

E você o que acha? Será que daqui a 10 anos você vai lembrar dos jogos da Gameloft como lembrava dos jogos em Java? Deixe um comentário.

Publicidade

Mestre na arte oculta dos joguinhos de bolso. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer.

  • silva junior

    Parabéns pela matéria . Vc disse tudo (desculpe eu não sei se vc trabalha no site sozinho sou novo aqui ) pena que a gameloft não se importa mais com os seus clientes .lembro até hj do block break deluxe cara um jogo tao simples mas que tem seu encanto. Imagina hj em dia se a gamemafia não transformaria ele num jogo totalmente P2W é uma pena mesmo

    • Dario Coutinho

      Muito obrigado Silva Junior.

  • Joao Gabriel

    É impressionante como a Gameloft mudou da água para o vinho. Uma empresa que parecia ser visionária e valorizava o mercado mobile trazendo experiências de gameplay de qualidade e que faziam as empresas com consoles portáteis se preocuparem com mobile. Daí, ela passa a abandonar seus jogos Premium e a se dedicar a jogos enfadonhos , gêneros demasiadamente explorados no mobile é que exigem conexão constante com a Internet. A Gameloft simplesmente se perdeu e a cada dia perde mais a credibilidade que um dia teve.

    • silva junior

      Tenho medo do que a gameloft irá fazer com o asphalt 9 (minha saga favorita na gamemafia)

      • Joao Gabriel

        Vai ser um jogo online + uma tonelada de compras com dinheiro real + Barra de energia.

    • Dario Coutinho

      Exigência de conexão + licença + toneladas de compras embutidas. Tá foda!

  • huehuehue BR

    A gameloft ja foi uma empresa muito boa e que tinha o respeito de todos…realmente concordo com a materia… Pq desde asphalt 8 e dh4
    Eu n vi nenhum titulo bom da gameloft…
    A esperiencia AAA n existe mais nos jogos da gameloft… Eu nem presto mais atençao… Afinal…a gameloft poderia trazer de volta aquele jogo…lembram dele? O alien quarantine, o jogo era otimo…os graficos nao importavam…oq importava era que o jogo tinha uma boa ideia e te prendia nele
    Eu vi o trailer de Iron Blade e achei que a gameloft finalmente ia fzr um jogo que meressesse minha atençao… Um jogo que devolvesse a credibilidade da gameloft
    E eu me deparo com um jogo sem a possibilidade de movimento… Com uma historia mto desprezivel e um menu pior ainda
    Outra grande decepçao foi dh5
    Que era pra ser um jogo super foda
    Mas a gameloft estragou com a necessidade de conexao… E o modo de energia
    Modern combat 5 tb éum exemplo de decepçao… Mta coisa freemium e mta enrolaçao na historia… A nessecidade de o jogo estar te ensinando oq fzr a cada 5min
    A gameloft pra mim se perdeu…
    Fez parte da minha infancia com o grande dh3 e varios outros jogos java
    Mas simplesmente nao da mais pra levar a serio os lançamentos da gameloft

    • Dario Coutinho

      Uma vergonha aquele lance de não controlar a movimentação do personagem no Iron Blade.

  • Gi Basilio

    Gameloft caiu, e todos sentiram isso, visando grana ela ja tem, parabens em lucrar, mas nos lembramos de todos os jogos fodas antigos dela, hoje, sera que lembraremos dessas copias de hoje? Bem, hoje ela lucra, daqui a 2 anos, ninguem mais vai lembrar de algo dela.

  • Jonathan A. Machado

    É por isso que desejo cada vez mais a introdução da Nintendo no mundo mobile!
    As empresas dos japoneses possuem alguns valores antes de visar o lucro,
    um deles é não somente o comprometimento com o público, mas também a
    satisfação dos mesmo. Por isso que seus jogos todos são tão bem-vindos em
    nossas vidas!

    Quando entrei para o mundo mobile eu era viciado em MMO’s de PC, mas
    conheci o Dungeon Hunter 4 em seu auge e fiquei viciado. Admito que até no
    trabalho jogava para dar aquele upgrade nos equips kkkkk.
    Mas depois disso não vi nada de bom deles, inclusive deixaram no total
    esquecimento o DH4, além de eu ter perdido grana, pois o jogo não possui
    suporte de save na nuvem.

    Supercell desbancando as empresas, quero ver as cópias do Braw Stars
    que vai sair, inclusive da Gameloft…

    Parabéns pela matéria, muito boa e triste ao mesmo tempo o/

    • Dario Coutinho

      Braw Stars da Gameloft, isso vai ser engraçado.

      Muito obrigado pelo comentário.

  • Bela matéria. O maior erro da Gameloft é pensar primeiro no lucro para depois pensar na diversão de seus jogadores, pois para que um jogo seja bem jogado, ele tem que ter diversão, elementos que te faça viciar e querer ficar ali jogando por horas, mas na verdade com limitadores de Energia, você acaba fazendo o contrário, não tendo a liberdade de jogar o tempo que quiser, torando assim o jogo enjoativo. Eu acredito que nem 1% dos jogadores pagam para restaurar energia para continuar jogando, apenas deixam o jogo de lado esperando a energia se regenerar. Esse limitadores de energia nos jogos foram a maior mancada da Gameloft de todos os tempos, limitando seus jogadores a jogaram o quanto quiser, tirando o melhor elemento de um jogo que é a diversão. Se não querem fazer mais jogos pagos porque não dá lucro, faça igual a Supercell, façam jogos que você jogue o quanto quiser, e se for pra comprar algo, que seja algo que lhe dê alguma vantagem no game. O Games mobiles tem de tudo para baterem de frente com os jogos de consoles da antiga geração, mas pelo jeito isso nunca irá acontecer.

    • Dario Coutinho

      Valeu maninho!

  • Leandro Rodrigues

    Minhas duas últimas investidas na Gameloft foram Dungeon Hunter 5 e Gods Of Rome, sendo este último o que mais investi tempo e até uma graninha. Ver como o jogo Gods Of Rome foi deixado de lado partiu o coração. Muitos jogadores em comunidades internacionais cheios de idéias e simplesmente a Gameloft não dá a mínima para o quesito “FÔ. Eu vejo a Gameloft uma empresa voltada para a aquisição financeira, se não deu lucro, para. Eu acredito que foi isso que aconteceu com Gods Of Rome, era um jogo com bastante potencial, gráficos bonitos, uma temática muito ampla para ser explorada, já que havia várias mitologias envolvidas no jogo e não só a romana/grega. Pra mim Gods Of Rome fracassou por má administração, ninguém vai comprar jóias em um jogo que te dá jóias facilmente. Agora veio esse fiasco de Gangstar New Orleans que nem vontade de testar tenho mais por causa dessa dificuldade de deixar o jogo compatível. Gameloft pra mim, acho que nunca mais.

    • Dario Coutinho

      Incrível o que aconteceu com God of Rome. Agora, estranho mesmo é o Gangstar New Orleans não ter vindo nem com um multiplayer decente. Bizarro!

      • Leandro Rodrigues

        E não é. Eu prevejo outro fracasso com esse recém lançado Asphalt Street Storm Racing. Acho difícil bater a mesma qualidade de CSR2. Ao invés de investir em um jogo assim, porque não pensar em um GT Racing 3 nos mesmos moldes de Gear.Club? Potencial pra isso acredito que eles tenham. Pelo que eu vi, nesse Gangstar New Orleans fizeram o mesmo que existe em Dungeon Hunter 5, uma espécie de masmorra onde coloca defensores. Gameloft deixou de ser pioneira para ser apenas uma coadjuvante no mundo de jogos mobile, minha opinião.

  • THE ULTIMATE JOKER

    Antes de eu ter um console, os jogos java e android da Gameloft foram meu primeiro contato com jogos e me renderam horas de diversão. Ainda me lembro de como eu fiquei adimirado dos gráficos de TimTim e 9mm. Acompanhei a franquia NOVA, Brothers in Arms e Modern Combat até o ápice que foi quarto jogo.
    Nunca $20,00 valeu tanto a pena quanto no Batman-The Dark Knight Rises.

    Infelizmente a qualidade caiu muito e não tenho esperanças que melhore.

    • Dario Coutinho

      Nossa que lega a sua história cara. Tenho certeza que muitos tiveram seu primeiro contato com os jogos Java da Gameloft. Bons tempos.

  • Lakers20

    Gameloft ta lastimável. Na época dos jogos em java a maioria absoluta eram jogos maravilhosos, que saudade dessa época. Se fosse lançado um novo jogo da serie nights ia matar a pau mas claro que não farão isso, e se fizessem iriam colocar as malditas barras de energia.
    Hj em dia passo longe da gameloft, antes sinonimo de qualidade, hoje é sinonimo de jogos sem graça, sem carisma e com barras de energia.

  • Bruno França

    Se continuar assim, o mercado de games mobile nunca vai crescer e bater de frente com consoles, torço pra que a NEXON e outras empresas que criam belos jogos cresçam cada vez mais, conversei um amigo meu gamer, ele me disse que o jogo que ele já ficou mais tempo jogando foi o bullet force por uns 3 meses, os games mobile precisam de reinventar, um sistema de pagamento que seja justo para empresas e os usuários, jogabilidade que não seja enjoativa mais ao msm tempo que não seja casual, ainda tenho esperança que vem muito jogo bom aí.

  • uMaxsuel Lopes

    Mt boa a matéria, faz tempo que a Gameloft não lança um título decente, o último jogo que baixei e ainda continuo jogando é o gangstar Vegas. Quando vi o trailer de iron Blade achei que ia ser um shadow of mordor pra Android, mas só pelas resenhas passei longe de instalar, um jogo de ação no qual vc não tem o controle da movimentação não é jogo de ação. Além dos jogos supracitados na matéria gostaria MT de jogar might and Magic 2 no Android, seria insano!! Gostaria tbm de jogar jogos como backstab e outros, mas quando comprei meu primeiro Android já não estavam mais na loja.

  • Thiago Habibe

    Ótima matéria, mas tem algumas poucas aparições de alguns Heróis de Heroes Of Order And Chaos, no Order Chaos 1, o rpg da gameloft que se passa no mundo de Haradon.( HOC também se passa nesse mundo) Porém para encontrar eles, é preciso ser forte, pois eles se encontram em cenários mais avançados/Dungeons avançadíssimas no Game. Algum fã do Rpg já os encontrou 🙂 ?

  • Danilo Tiago

    Nossa me veio na cabeça meu Primeiro jogo que joguei no celular! E era Moder Combat Sandstorm cara era em 3D bela história, me prendeu por várias horas é ainda fiquei impressionado na época que os jogos mobile tava dando seus passos depois joguei eternal legacy da gameloft, adveture tintin que jogo era aquele gente? É hoje você uma empresa com um Curriculum Bom de anos atrás a cair de qualidade ! Tipo se hoje em dia ela continuase com Jogos Premium ela seria a maior empresa no ramo de games Mobile! E te garanto que os lucros iriam ta em alta , eu prefiro pagar por jogos Premium do que baixar jogos Gratuitos com Propagandas e barras de energia!

  • Pøser

    O que realmente falta é inovação. E claro, os clássicos. O primeiro jogo em java que experimentei foi Castle of Magic, há quase 7 anos. De lá para cá, a Gameloft foi decaindo visto que ela não inova tanto nos jogos. 6 novos carros no Asphalt Xtreme é quase nada. O jogo já podia ter emplacado se fosse pensado para não ficar maçante depois de certo tempo. E o que falar de Iron Blade?! O que é Gangstar “Gráficos bonitos” New Orleans perto dos mais antigos?! Asphalt 8 teve sucesso por ser bonito e agradar na forma que poucos agradavam, mas e agora?
    Cadê o novo Nitro Street Racing? Depois daquela parceria com a Ubisoft, nunca mais tivemos algo que enchesse os olhos.
    Concluo que está complicado inovar dessa forma, sendo que todos só visam o lucro e nada mais.

  • Black

    A Nintendo quando relança algum jogo ou ele vem com melhorias,OU NO MINIMO DO JEITINHO QUE ERA.

    Ja a Gameloft essa vai Revitalizar pra PICOTAR E MONETIZAR igual faz com os novos,basta ver o Nova Legacy…

    Mas assim,se eles tem essa politica e n estao no prejuizo e pq tem trouxa enriquecendo eles,sendo assim isso vai continuar

    • Joao Gabriel

      Falou a verdade! Eu vi uma faísca de esperança nesse Nova Legacy, mas quando joguei, foi uma decepção. Não é nem sombra da trilogia original.

  • Oficina TecArt

    Sabe qual é o grande problema fora isto, e aliás, primeiramente parabéns pela matéria sensacional. A alguns meses eu já andava fazendo certos vídeos no meu canal, o Ouvido Play, reclamando sobre a GRANALOFT, o lance deles agora é só ganhar grana com Freemium, isto é completamente ridículo, e o pior de toda a história é a remoção de jogos que basicamente eram offline sem qualquer RESPEITO pelos consumidores, pagamos por algo que ela simplesmente remove e não conseguimos mais usar, o único jogo pago dela que ainda consigo jogar é o Asphalt 7, o restante nenhum mais se quer aparece na play store. Isto deveria ser configurado como roubo, pagar por algo que temos o total direito de usar por quanto tempo quiser e eles simplesmente dão uma banana pra gente. Pegar os antigos Asphalt e comparar aos novos, os atuais não são nem a sombra dos antigos, N.O.V.A é outro, olha o N.O.V.A 3 e compara com este tal de Legacy, os antigos eram beeeeeem melhores. Já pegando o gancho, outra empresa que tá na mesma linha da Gameloft é a Kabam, outra empresinha pilantra que simplesmente retiram os jogos sem mais nem menos. O mundo mobile em si tratando de jogos está indo de mau a pior, ultimamente está sendo melhor jogar jogos casuais ou indies do que ficar perdendo tempo com jogos das ditas grandes produtoras.

  • Joao Gabriel

    O mobile tá difícil. Parecia que ia ser uma revolução no mercado de videogames. Mas mudou demais com os anos. Só é lançado centenas de jogos do mesmo gênero. É jogo de carta, é jogo de corrida infinita, etc. Além de tudo exigir conexão com internet. Minha esperança são as empresas de games de consoles que vem trazendo suas franquias para o mobile, como a Rockstar, Sega,Nintendo,Square Enix, etc.

  • BRplayer

    Nossa, ótimos tempos de Java! Após meu Master System 3, esse o foi o segundo contato com jogos eletrônicos da minha infância.

    A Gameloft conseguiu destruir sua reputação de 15-16 anos (eu acho) em apenas 4. Incrível como seus jogos perderam qualidade. Me arrependo até hoje de não ter descoberto o android antes, só fui ter contato em 2013.

    Hoje, tento rodar os clássicos 9mm, Shadow Guardian, os Gangstars da época, Avatar e todos aqueles jogos no meu moto X2 e nenhum deles funciona.
    As vezes, “fuço” a internet atrás de algum lugar “mágico” que tenha uma versão que rode no meu aparelho, mas sempre me decepciono e acaba sobrando esses “caça-níqueis” para jogar.

  • Ótima matéria, concordo com tudo que foi dito aqui, a gameloft ta olhando de mais pro futuro e esquecendo seu passado glorioso, lembro de quando só via elogios pra ela, quando lançava um game todo mundo caia em cima por que ja sabia que vinha coisa boa, hoje em dia so vejo reclamação da galera, se tornando cada vez mais genérica e p2w.

  • Lucas Falcao

    A Gameloft realmente perdeu o rumo, é triste ver uma empresa como ela nessa decadência de criatividade. Séria de fato muito bom se ela aproveita-se os personagens que ela tem e utilizar em outros jogos, o único que ela ainda aproveita é o E-Man do Gangster Vegas que estar no Gangster New Orleans. Tem jogos muito bons que ela poderia resgatar como o Tom Clancy’s Rainbow Six Shadow Vanguard e poderia colocar essa temática multiplayer que ela fez no Modern Combat Versus. Eu lembro quando tinha o meu Samsung touch que rodava jogos tão simples e tão empolgantes, lembro também quando comprei o jogo igual guitar hero porém o jogo era tão bonito que nem parecia ser de Java, o jogo tinha uma jogabilidade muito boa e músicas muito boas também é era tão bonito que até hoje não achei um guitar hero mobile que menos chegasse aos pés daquele. Tenho esperança que um dia a Gameloft e as outras empresas voltaram a fazer jogos de verdade como já fizeram um dia e não essas porcarias freemiun que somos obrigados a engolir.

  • Wilson andrade angelo

    Soul of Darkness sem dúvidas foi o melhor jogo Java que já joguei uma pena a granaloft não ter investido em uma continuação desse jogaço e tbm do zombie infection. Parabéns ótima matéria Dário.

  • Silvio Silver

    O único jogo da Gameloft que jogo até hoje e sou viciado é o GT racing 2, Asphalt 8, já perdeu a graça faz tempo, Asphalt xtreme é enjoativo e cansativo, esse Nova que saiu recentemente, até é legalzinho, mas infelizmente é só mais um game caça money, queria tanto que a Gameloft lançasse um GT racing 3, aproveitando os gráficos atuais, seria show, mas resolveram ficar nessa mesmice de jogos Freemium irritantes.

  • GF

    Gameloft na verdade teve poucos clássicos.
    Desde sempre ficou conhecida como “a empresa de copia jogos de outras empresas,troca a skin,e bota no mercado”.

    Não estou dizendo que eles eram ruins,eram cópias bem feitas,mas não passavam disso.

    Se você for fazer um remake ou remaster aqueles jogos antigos,vai aparentar que são bons porque mercado mobile é tão ruim que qualquer coisa mais ou menos fica parecendo excelente,mas os jogos eram nada mais nada menos que versões “lite” de jogos famosos.

    Tem que fazer jogo para jogar especificamente em celulares,que sejam bons de jogar neles,com diferentes experiências,trazendo algo de útil para as touch screens.

    O modelo atual dela,no entanto,é deplorável,só jogo ruim,bugado,e pay2win.
    Também né,tinha que ser uma empresa da gananciosa Ubisoft.

    • mobilegamerbr

      Justamente isso. Antigamente a produtora tinha o mínimo de preocupação e cuidado na hora de “se inspirar”. Eles traziam jogos que, pelo menos, nos faziam sentir como se tivessemos com um jogo de console nas mãos.

      Hoje em dia, os games são tão fragmentados e genéricos que não temos mais essa sensação. Qualquer usuário baixa o jogo baseado nas screenshots das lojas de aplicativos. Somos enganados pensando que temos um jogão nas mãos, quando na realidade, nem controlamos o personagem direito (como o Iron Blade).

      A “criatividade” anda tão fraca, que agora ela inventou de “se inspirar” em empresas mobile com jogos como Asphalt Street Storm (CSR Racing) e Blitz Brigade Tactics (Clash Royale).

      • Triste fim para a franquia Blitz brigade. Otimo jogo o FPS

      • GF

        É,mas ainda assim não eram lá grandes coisas.

        Eu tenho uma opinião um pouco diferente,acho que mobile não tem que tentar ser igual consoles.

        Pois,afinal de contas,é muito complicado fazer jogos com vários botões e física,gráficos,e IAs boas,porque há um número absurdo de aparelhos no mercado,com hardwares completamente diferentes,sem gamepads (touch é ruim pra maioria dos jogos),e um mercado consumidor que não preza por jogos bons ; eles querem algo de graça e o mais casual possível,com jogatinas muito rápidas apenas para se distraírem.

        Eles não jogam de verdade,só jogam como passatempo mesmo.

        Dito isso,eu ainda acho que o maior problema é a tela touch.
        Colocar experiência de console em celular raramente dá certo.
        O máximo que já vi foi Real Racing 3,este um jogo muito bem feito,mas também não pode nem de longe ser considerado um simulador,nem mesmo um “Simcade”,como os jogos da Codemaster.

        E,bom…
        Ao invés da Gameloft ficar fazendo cópias (não são inspirações,são cópias mesmo),poderia tentar trazer algo realmente criativo.
        Jogos de puzzle e aventura são bons para se colocar num celular.Ação com visão de cima,ou um RPG isométrico,são tipos de jogos que funcionam muito bem nos celulares.

        Só que a Gameloft é uma empresa que copia,infelizmente.
        Pode ser interessante pra quem quer isso que você falou,experiência mais ou menos de um jogo de console.
        Mas pra quem quer algo de novo e diferente,ao mesmo tempo com qualidade,não faz a mínima diferença.Porque,se eu posso jogar isso em um console ou PC,pra quer jogar uma “versão piorada” no celular?

        Agora,eu não creio que ela tenha piorado por falta de criatividade.
        Ela nunca teve criatividade,é importante entender isso.
        Asphalt = Need For Speed,Burnout
        NOVA = HALO
        Gangstar = GTA
        Modern Combat = COD
        Blitz Brigade = Team Fortress
        Soul of Darknes = Castlevania
        Shadow Guardian = Uncharted

        O lance é que agora os jogos que ela está copiando são geralmente de baixa qualidade,tecnicamente estão falhando muito (bugs e mais bugs),além do modelo free to play dela,que é uma merda.

        Enfim,não era uma empresa ruim de forma alguma,mas criatividade é algo que ela nunca teve.

  • Lucas Santos

    Mano, que saudades de Miami nights…

  • Bem, eu so acho que se ela resolver “reviver” algumas franquias de sucesso, Gameloft fará o favor de acabar com tudo. Pois né?! Em qualidade, gameloft perde feio.

  • Wander Albuquerque

    Ultimamente estou dando atenção para emuladores, jogos indies e de desenvolvedoras que estão trazendo jogos dos consoles para o mobile, pois essa geração de energia e conexão com internet ta foda, quem inventou essa modalidade de jogos freemiuns devia levar um tiro bem na nuca, vc fica frustrado quando vc não tem habilidade para pular uma fase, mas quando vc não tem o cão da energia ou conexão, dá é raiva e te distancia mais e mais do game.