KOF AllStar x Street Fighter V no Mobile, o collab que me deixou triste

É realmente uma pena ver o enorme potencial de duas excelentes franquias desperdiçado em um belíssimo jogo gacha.

King Of Fighters AllStar é um game que mistura beat’em up, fighting game e RPG com uma direção de arte muito bonita e uma jogabilidade que é, digamos, satisfatória.

O game, que sempre alicerçado em um modelo de monetização com pacotinhos aleatórios, os famosos “gacha game” nunca foi do meu agrado e eu estava relutando para não escrever sobre o collab The King Of Fighters AllStar x Street Fighter V.

kof-all-star-street-fighter-v-android-ios KOF AllStar x Street Fighter V no Mobile, o collab que me deixou triste

O motivo é simples, eu sabia que não iria gostar de voltar para The King Of Fighters AllStar, e meu maior medo se concretizou.

The King Of Fighters AllStar continua com um sistema de monetização agressivo que simplesmente não tem como gostar, o jogo é muito ganancioso com um sistema de ganhar personagens aleatoriamente que em certos momentos é revoltante.

E o collab com Street Fighter V é simplesmente lindo, mas foi implementado do jeito mais porco possível.

UMA TREMENDA B*STA

Imagina o sentimento de uma pessoa que viu essas duas franquias nascerem do zero. Sou do tempo em que King Of Fighters era um logo no início do primeiro Fatal Fury. Joguei “Street Fighter de Rodoviária” a infância toda. E cá estamos discutindo se vale a pena gachar um jogo para ver se a probabilidade de 0.6% para tirar um bom personagem, vale o meu dinheiro.

O único modo de aproveitar o collab é no modo versus, que é simplesmente um festival de lag e travamentos por conta de problemas de conexão dos servidores.

Enfim, The King Of Fighters AllStar x Street Fighter V parece lindo no papel, com representação belíssima dos personagens da franquia da Capcom com uma arte que lembra a do lendário Toshiaki Mori (Shinkiro).

As artes do jogo são belíssimas, mas é só isso.

É triste por que ao jogar alguns minutos, você vê uma jogabilidade muito boa com direito a Critical Arts e Special Moves. Está tudo lá, modelos de personagens bem representados e movimentação bacana. Mas tudo é desperdiçado, em um jogo onde o foco é esmagar botões, e tentar ter o personagens com mais estrelas.

Para quem pediu para eu escrever sobre esse collab, minhas sinceras desculpas.

Não consigo sentir nem um pingo de empolgação. O que sinto é revolta.

É muito triste ver duas franquias poderosas e que fazem bonito nos consoles e PC, serem tão maltratadas no mobile. Isso ficou ainda mais evidente com o anúncio de Street of Rage 4 para celulares.

Já pensou se todo jogo de luta ou beat’em up vira algo assim?

F.