Dona da Garena já perdeu 75% do valor de mercado e acende sinal de alerta

Free Fire continua lucrativo como nunca, mas a perda gigantesca de valor de mercado acende sinal de alerta na Sea/Garena.

A SEA Group, uma holding que possui várias empresas, dentre elas a Garena (do Free Fire), amanheceu com a má notícia de que suas ações caíram 75% desde novembro do ano passado. Isso se traduz em uma perda de mercado de mais de US$ 150 bilhões de dólares!

A notícia que já era ruim para a empresa dona do Free Fire, piorou quando a Tencent vendeu suas posições e diminuiu sua participação em ações na Garena.

Publicidade

Ações da empresa dona da Garena estão em queda livre.

O dono da Sea foi realista em um memorando enviado aos funcionários:

“Essa queda é dolorosa e você pode estar se sentindo frustrado, desanimado ou preocupado com o futuro da Sea”. ““Não tenha medo: estamos em uma posição forte internamente e temos clareza sobre nossos próximos passos”.

O memorando incomum nesse tipo de situação. Com rápido crescimento entre 2019 e 2021. O recente banimento de Free Fire na Índia (um mercado importantíssimo para o game) , o fim próximo da pandemia e atenção do mundo com conflitos na Ucrânia e Rússia, têm feito os investidores partirem para outros negócios.

Investidores gostam de crescimento e não ficam com papéis de uma empresa “por amor”. Para ter uma ideia, de 2017 a 2021, as ações da Garena cresceram 2.300%

Tá e isso vai impactar no jogo? Muito provavelmente não.

Free Fire continua altamente lucrativo, mas…

Nada disso parece afetar o jogo Free Fire. Apesar da queda do interesse no Brasil e no mundo, o jogo continua altamente lucrativo, como revela o site Sensor Tower. O número de downloads caiu, e de receita também, mas Free Fire continua absurdamente lucrativo. O jogo rende fácil US$ 50 milhões de dólares apenas com vendas dentro do aplicativo.

Então o que pode estar acontecendo?

Muito provavelmente, isso é reflexo de um possível “fim da pandemia”. No Brasil, por exemplo, vários estados voltaram com o cronograma de aulas nas escolas públicas, o que incentivou a volta a “normalidade”.

É um cenário bem diferente dos anos de 2020 e 2021, quando crianças e adolescentes estavam literalmente presos em casa, sem poder sair. A maioria deles tinha como único entretenimento, o celular.

 

Mercado futuro e especulação

Quem manja um pouco de bolsa de valores e ações, sabe como o investidor é um bicho que pensa bastante no médio e curto prazo.

Talvez essa desova de ações seja fruto de um pensamento que Free Fire já teve o seu pico de audiência e que é melhor investir em outros jogos ou outros negócios de crescimento mais rápido (como jogos com NFT). Afinal, o valor de uma ação está em quanto ela pode crescer, ficar estagnada ou perder valor não interessa muito para eles.

Empresa dona do Free Fire parece mais interessada em investir em outros mercados que o de produção de jogos.

Do lado da Sea/Garena, também faltou um pouco de visão de futuro.

Pensar em um “Free Fire 2” ou outro jogo que chame atenção de investidores era um passo óbvio. Ao invés disso, a Sea/Garena vem investimento fortemente em outro ramo completamente diferente, o de vendas online, com a Shopee.

Com informações de Bloomberg.

  • Dario Coutinho

    O "Gamer de Celular" Original. Criou um dos primeiros sites sobre jogos para celular em 2007, que viria a se tornar o Mobile Gamer Brasil em 2009. Formado em Ciência da Computação, escreve sobre tecnologia há mais de 16 anos. Com passagem por revistas de games (EGW, Arkade) e sites renomados como Techtudo. E-mail para contato: [email protected]

Google News

Deixe um comentário