Acabou o tesão pelos smartphones?

10 de Maio de 2018 . Atualizado 11/05/2018

acabou-o-tesao-por-tops-de-linha Acabou o tesão pelos smartphones?

Um recente relatório do mercado chinês trouxe uma verdade inconveniente. Quase todas as fabricantes registraram menos vendas, em relação ao ano passado, e o mercado caiu 21%. Um grande declínio para os três primeiros meses de 2018. Será que o tesão por smartphones acabou?

A China é um “termômetro” quando o assunto é smartphone. É de lá que saem a maioria dos aparelhos e também é por lá que a maioria é vendida.

grafico-mercado-chines-2018primeiro-trimestre-1024x576 Acabou o tesão pelos smartphones?

Na realidade, as vendas de smartphones na China já vinham mal das pernas desde 2017, mas o último trimestre foi realmente “uma pancada”.

Empresas gigantes como Samsung, despencaram na China. A Samy deixou de vender cerca de 50% em relação ao mesmo período do ano passado.

Apenas Xiaomi e Huawei tiveram um crescimento expressivo, e isso se deve não aos top de linha, mas aos aparelhos intermediários e básicos que puxaram as vendas dessas duas fabricantes. Da Xiaomi por exemplo, 90% do que foi vendido no primeiro trimestre era smartphone na casa dos US$ 160 dólares (por volta de R$ 568).

– Sem apelo em relação a geração passada

Isso nos leva a um questionamento interessante. Será que o tesão das pessoas por comprar um top de linha finalmente chegou ao seu fim. Parece que não há mais para onde essa categoria evoluir.

Corrigindo, claro que há para onde os smartphones evoluírem. Porém, o apelo para vender smartphones top de linha continuará? Já não temos aparelhos com poder de processamento suficiente? O que há em termos de foto, vídeo e aplicativos que um smartphone top de linha de 2016 não possa fazer?

Isso dá assunto para um bom podcast não acham? 😅

Não conhece o nosso podcast? Confere aí meu irmão!

PODCAST GAMER DE CELULAR

Fonte: Canalys

Publicidade

O Gamer de Celular Original. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer. Também é retro colecionador.