Snapdragon 810: A verdade por trás do aquecimento e “perda” de performance

9 de junho de 2015 . Atualizado 09/06/2015

qualcomm-snapdragon-820x460 Snapdragon 810: A verdade por trás do aquecimento e "perda" de performance

Quando foi anunciado, o Snapdragon 810, o novo chip desenvolvido pela Qualcomm, prometia ser o cérebro de todos os smartphones top de linha com Android, assim como aconteceu com as versões anteriores. Mas não é exatamente isso que está acontecendo, e segundo testes de sites especializados, não era mesmo “birra” da Samsung.

Atualmente o chip está presente apenas em dois aparelhos: HTC One M9 e LG G Flex 2, e em ambos muita gente já confirmou que eles são realmente “quentes”. O problema do aquecimento não é apenas um incomodo estético ou coisa de gente fresca. Segundo sites como Phone Arena, AnandTech e ArsTechnica, o chip possui mesmo um caso grave de “sufocamento” (throttling).

Snapdragon 810 não esquenta nem com games ou filmagem em 4K

Quando está muito quente, o Snapdragon 810 tira uma soneca e baixa o clock intencionalmente, mesmo durante o uso de uma aplicação pesada. Trata-se de um recurso relativamente comum nos chips de smartphones. Porém, no caso do Snapdragon 810 as diferenças de clocks foi gritante.

O aquecimento excessivo de um componente pode esquentar outros, causando um efeito dominó sobre todo o smartphone, o que diminui a performance do aparelho e principalmente da bateria. Para não ser “sufocado” por esse calor, o sistema “regula a pressão”, reduzindo seu clock (frequência). Esse “sufocamento” da performance é chamado de “throttling”.

E como isso não parece nos benchmarks? Acontece que os testes de benchmarks são rápidos e o throttling do Snapdragon 810 é mais fácil de ser percebido no dia a dia, principalmente se você joga muito no smartphone.

Conforme os benchmarks do site ArsTechnica, o que acontece é o seguinte: na maior parte do tempo, o Snapdragon 810 está operando em uma frequência abaixo daquela publicada nas especificações (2 GHZ para a CPU “Big”). Durante testes pesados prolongados, o Snapdragon 810 baixou muito a sua frequência e isso tem um impacto na performance.

Primeiramente, veja um teste com modelos anteriores: Snapdragon 800, 801 e 805

Snapdragon-810-throttling-2.001-980x735 Snapdragon 810: A verdade por trás do aquecimento e "perda" de performanceDos modelos testados, o Snapdragon 801 se saiu “vitorioso” por manter a frequência durante todo o teste. O chip presente em smartphones como HTC M8, demonstra que entrega realmente o que o gamer de celular espera. Porém, o Nexus 5 foi que se saiu pior, e chegou a baixar a sua frequência para 1.6GHZ durante grande parte do teste.

Agora veja o teste com o chip mais recente da Qualcomm

Snapdragon-810-throttling-2.006-980x735 Snapdragon 810: A verdade por trás do aquecimento e "perda" de performanceComposto por um conjunto de 8 núcleos: Um Quad-core 1.5 GHz Cortex-A53 e Um Quad-core 2 GHz Cortex-A57, o Snapdragon 810 decepciona. A arquitetura de 64bits, aliada a memórias mais velozes e GPU nova garantem o desempenho satisfatório, entretanto, aquém da revolução prometida. Nos testes, a equipe do site ArsTechnica usou o app Geekbench que consegue testar individualmente cada núcleo.

– Observações e atualização!

Vale lembrar que o “throttling” é comum em vários chips e aparelhos. Até mesmo no iPhone 6 e Samsung Galaxy S6 ele está presente. Mas melhorias no chips de ambos, ajudam a diminuir o problema.

Embora apresente o “throttling”, smartphones como LG G Flex 2 e HTC M9 ainda se beneficiam de outras qualidades do SoC como a arquitetura 64bits e GPU Adreno 430. Vale lembrar que as GPUs hoje em dia são muito importante nos smartphones e são o “coringa” por trás do processamento e efeitos gerados até mesmo na interface dos menus do Android.

No caso do LG G Flex 2, segundo muitos usuários, depois da atualização para Android 5.1.1 (lançada nesta semana), o smartphone melhorou bastante contornando grande parte do problema com “throttling”.

Fontes

Publicidade

O Gamer de Celular Original. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer. Também é retro colecionador.