Novo The King of Fighters A 2012 chega para Android (silenciosamente)

3 de setembro de 2013 . Atualizado 02/03/2014

king-of-fighters-a-2012-android-1 Novo The King of Fighters A 2012 chega para Android (silenciosamente)

Um novo The King of Fighters chegou na Play Store. Trata-se de The King of Fighters A 2012 (R$ 14,52) para Android. O jogo, agora sobre o selo da SNK Playmore, já havia sido lançado antes, pela publicadora G-Gee Games (veja aqui). A versão da G-Gee tinha visivelmente poucos lutadores, além de ser toda em baixa resolução. Ela era chamada apenas de “The King of Fighters Android”.

The King of Fighters A 2012 é muito parecido com o game anterior, ou seja, usa como base os sprites de King of Fighters XIII. A nova versão além de possuir mais lutadores (são 14 a mais) e resolução melhor, pode ser instalada em aparelhos com root, coisa que a versão da G-Gee proibia. O único problema da nova versão, é que ela é compatível com poucos smartphones e tablets. Segundo a SNK na página de download, os aparelhos recomendados são:

  • Samsung Galaxy S3
  • Samsung Galaxy S2
  • Nexus 7
  • Xperia acro S
  • HTC J one
  • XPERIA so-03D

Outros aparelhos são compatíveis, mas é possível ver um padrão aqui. Aparentemente, o jogo roda melhor em aparelhos com resolução qHD e HD com 1GB de RAM ou mais e processadores com pelo menos dois núcleos e 1GHZ de clock. Se o seu aparelho não cumpre essas especificações, você pode ter problemas ao tentar rodar o game.

The King of Fighters A 2012 está à venda na Google Play por R$ 14,52. Parece “salgado”, mas se você é fã de “KOF”, vale cada centavo.

king-of-fighters-a-2012-android Novo The King of Fighters A 2012 chega para Android (silenciosamente)

 

Link para Baixar no Android (Pago)
Publicidade: Não | Exige conexão com Internet: Não
Contém compras embutidas: Sim
Requer Android 4.0, 4.1 ou superior

Publicidade

Mestre na arte oculta dos joguinhos de bolso. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer.

  • Adriano

    Os cénarios continuam sem vida ainda?