Durante a Crise no Brasil, Google aposta em localização de preços na Play Store

17 de novembro de 2015

Nada de notícia sensacionalista. Decisão da Google Play mostra preocupação com os números do setor

google-play Durante a Crise no Brasil, Google aposta em localização de preços na Play Store

A crise no Brasil não está poupando ninguém! Até mesmo a Google teve que mudar algumas coisas com relação a Google Play para poder reverter os números decepcionantes que a loja apresenta quando o assunto é “venda de apps e jogos”.

Apesar do Android estar massificado no Brasil e América latina, com mais de 85% do mercado, os números de vendas de jogos, aplicativos e filmes não empolgam ninguém. Recentemente, a Google lançou uma propaganda massiva nas TVs aberta e fechada para divulgar que “não é só app não..”. Porém, os preços dos conteúdos que já eram proibitivos, ficaram nas alturas por conta do dólar mais caro.

Por conta disso, a Google anunciou durante o evento Google Playtime, realizado nesta terça-feira (17), em São paulo, que os preços dos jogos e aplicativos para Android na Google Play não será mais baseados no preço do dólar.

A partir de agora a compra mínima será R$ 0,99 (Anteriormente era R$ 2,50). Mais 16 países também receberão o novo sistema de conversão a partir de hoje. Vale lembrar que esse é o preço mínimo padrão fora de promoções.

Adotando uma estratégia parecida com a de Steam, a Google busca crescimento de faturamento no difícil mercado brasileiro, o qual é dominado completamente pela pirataria de Apps e Jogos.

Segundo a Google, a medida tem tudo para dar certo, pois há casos de sucesso nessa adoção da moeda local de cada país, ao invés de basear o preço na conversão do dólar. Na Índia, o sistema adotado foi um verdadeiro sucesso, com um aumento 27%.

Mas calma a mudança não será automática! É preciso que o desenvolvedor do app escolha reduzir o preço do mesmo para a oferta mínima. Ou seja, no caso de desenvolvedores internacionais, eles vão escolher “ganhar menos” para vender o seu app ou jogo.

Essa medida da Google não poderia ter vindo em melhor hora, nosso bolso agradece!

Comparativo com outros países:

  • Brasil: R$ 0.99 (preço mínimo anterior: R$2.50)

  • Chile: CLP $200.00  (preço mínimo anterior: CLP $500.00)

  • Colômbia: COP$ 800.00 (preço mínimo anterior: COP$ 2000.00)

  • México: MXN$ 5.00 (preço mínimo anterior: MXN$ 9.90)

  • Hungária: Ft 125.00 (preço mínimo anterior: Ft 225.00)

  • Indonésia: Rp 3,000.00 (preço mínimo anterior: Rp 12,000.00)

  • Malásia: RM 1.00 (preço mínimo anterior: RM 3.50)

  • Peru: S/. 0.99 (preço mínimo anterior:  S/. 3.00)

  • Filipinas: ₱15.00 (preço mínimo anterior: ₱43.00)

  • Polônia: zł1.79 (preço mínimo anterior: zł2.99)

  • Rússia: руб 15.00 (preço mínimo anterior: руб 2.00)

  • Arábia Saudita:﷼ 0.99 (preço mínimo anterior: 2.00﷼)

  • África do Sul: R3.99 (preço mínimo anterior: R10.00)

  • Tailândia: ฿10.00 (preço mínimo anterior: ฿32.00)

  • Turquia: ₺0.59 (preço mínimo anterior: ₺2.00)

  • Ucrânia: ₴5.00 (preço mínimo anterior: ₴8.00)

  • Vietnã: ₫6,000  (preço mínimo anterior:₫21,000.00)

Via Release

Mestre na arte oculta dos joguinhos de bolso. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer.

  • Mr.Death

    Muito bom, menor custo são mais jogos vendidos, oq no final tem um lucro maior!