Draw Something, uma ideia genial, mas ainda é um diamente bruto

29 de março de 2012 . Atualizado 29/03/2012

draw-something Draw Something, uma ideia genial, mas ainda é um diamente bruto

Tenho visto por aí muita puxação de saco para esse app/game então resolvi testar. Para minha infelicidade, sou um “stand-alone” player e para jogar Draw Something, você necessita de outro ser humano para jogar, de preferência com uma conta no Facebook (tá forçando a barra hein OMGpop). Após brincar (ou tentar) meia hora com o aplicativo meu veredito veio rápido: Não gostei!

O objetivo do jogo é simples, você tem que adivinhar que desenho seu rival está fazendo e escrever usando umas letras que aparecem. O aplicativo só é considerado um jogo pela contagem de moedas que você ganha quando acerta um desenho. As opções para desenhar são bem pobres em comparação com o que existe para iOS, como o SkeetBook.

Então como isso fez sucesso? Dois motivos. O primeiro, Facebook! Como hoje em dia tudo acontece no Facebook, talvez essa doce integração de simplicidade e ousadia tenho dado o sabor que fez os americanos esquecerem de viver para “jogar” Draw Something. Por Que afirmo isso? Basta olhar para aplicações como Charadium e Decipt e ver que eles são até melhores que Draw Something em termos de recursos e mesmo assim não decolaram. Agora vem o segundo e banal motivo: O PREÇO! Com uma versão gratuita, bastou que um grupo de pessoas usasse o game e em colaboração com a necessidade do Facebook fez o jogo saltar para o Top da App Store.

Com uma interface simples, ala Paint, poucos recursos e alguns bugs, acho que a mídia exagerou nos elogios ao “game”. Claro, é uma boa ideia, mas precisa de muito para virar um super game. Contudo, todo esse sucesso só reforça a tese de que os jogos para celular ainda são um ramo muito jovem no mundo dos games.

Publicidade

Mestre na arte oculta dos joguinhos de bolso. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer.