Out There: analisamos a beleza solitária deste adventure game espacial

2 de julho de 2015 . Atualizado 20/07/2015

out-there-omega-edition-1 Out There: analisamos a beleza solitária deste adventure game espacial

Se você curte filme como “Interstelar” e “2001: Uma Odisseia no Espaço“, então você precisa jogar Out There Omega Edition (Out There: Ω Edition /Android, iOS e PC). Um game de aventura/gerenciamento intrincado, e que passa longe de fórmulas casuais. Para começar, o game é pago, e exige muito raciocínio para gerir os recursos da nave e levar o seu tripulante de “lá fora” até o sistema onde ele precisa chegar. Out There: Ω Edition é a mais nova versão do game está disponível para Android e iOS.

– O começo: perdido nas estrelas

No comando de uma espaçonave, o jogador deve ajudar um astronauta a cumprir a sua missão. Após uma falha no sistema, esse astronauta acorda em algum lugar fora do Sistema Solar. A partir daí começa uma jornada para chegar ao seu destino final, passando por planetas estranhos, buracos negros e estrelas anãs.

Mas nada de ligar os propulsores em fator de dobra e seguir em linha reta cadete, em Out There: Ω Edition, as coisas nunca são tão simples. O game é pura ciência, mais especificamente, química e física, e coloca o jogador para conseguir recursos para seguir adiante. É preciso administrar além dos itens de sobrevivência, coisas como combustível e sistemas de propulsão.

out-there-omega-edition-3 Out There: analisamos a beleza solitária deste adventure game espacial

Um dos recursos mais legais é a exploração de planetas, a quantidade de tipos de planeta supreende até mesmo quem já conhece games gigantes como Mass Effect (PC, Xbox 360). Há vários tipos de métodos de viagem que incluem até mesmo viajar por “buracos de minhoca”, ou em termos técnicos, ponte Einstein-Rosen.

Durante as viagens espaciais, coisas ruins pode acontecer, como por exemplo perder ferramentas e recursos importantes. Infelizmente, o jogo está todo em inglês e é preciso um bom domínio do idioma para poder aproveitar o estilo “comics” de Out There.

– Gráficos e visual

A narrativa é contada na forma de HQ, com um visual bacana e temática sombria. A solidão é expressa nitidamente na forma de diário, com o personagem contando os dias.

out-there-omega-edition-4 Out There: analisamos a beleza solitária deste adventure game espacial

Out There: Ω Edition é baseado em um jogo já existente (Out There), mas com visual melhorados. A mudança de engine permitiu novos gráficos e uma experiência mais imersiva, graças a gráficos em 3D e efeitos visuais que, embora simples, completam a experiência.

– A verdade está lá fora

O curioso de Out There: Ω Edition é que leva-se bastante tempo para encontrar outras formas de vida. Isso transforma grande parte da jogatina em uma experiência solitária, tal qual a exploração espacial seria, se fosse feita dessa forma.

out-there-omega-edition-6 Out There: analisamos a beleza solitária deste adventure game espacial

Mas há extraterrestres em Out There: Ω Edition, e o mais legal é que é possível se comunicar com eles. Contudo, é preciso conhecer o idioma de cara raça, e essa é uma missão quase impossível, exigindo que o jogador tenha que recorrer à internet para concluir alguns objetivos.

– O “adventure” mais difícil de todos

Falando em objetivos, Out There: Ω Edition é um jogo quase impossível de concluir. A própria empresa avisa isso na descrição do game. O fórum oficial é cheio de dicas de jogadores com informações para concluir missões, e acredite, elas são necessárias.

Muitos desafios exigem a reunião ou combinação de itens pela representação do elemento químico na tabela periódica, saber química aqui, ajuda bastante. Mas em muitos casos a aventura pode ser frustrante. Não estranhe avançar até a próxima estrela e se deparar com a morte do seu personagem.

out-there-omega-edition-2 Out There: analisamos a beleza solitária deste adventure game espacial

O game não é perfeito, há problemas como ausência do português, falta de tutoriais no começo. Sério, o jogo é bastante complexo e ficar preso sem recursos é muito fácil.

Um ponto onde o jogo pode decepcionar é na questão dos combates. Acontece que não há combates diretos, Out There é um jogo puramente de exploração espacial e gerenciamento.  Indo audaciosamente onde nenhum game foi antes.

– Conclusão

Out There: Ω Edition é um jogo espetacular. Uma jogabilidade única e mais de 350 histórias diferentes, ou seja, cada vez que o jogador começar a jogar, está encarando novos desafios. Extremamente complexo, Out There: Ω Edition foge do padrão “diversão instantânea” e é um jogo para jogar no sofá de casa ou na cama e passar horas, perdendo-se literalmente entre as estrelas.

+Prós

  • Incrivelmente complexo
  • Muitas derivações para a narrativa (mais de 350 histórias)
  • Ótima trilha sonora
  • Muitos desafios

-Contras

  • Apenas em inglês
  • Falta de um início mais rápido

Nota 9/10

 

Ficha Técnica

Plataformas / Link para Download: Android 4.0+, iOS 5.1+

Tamanho: 90 MB

Idioma: Inglês

 

Publicidade

O Gamer de Celular Original. Passou por várias gerações (Java, Symbian, N-Gage). É o criador e idealizador do Mobile Gamer. Também é retro colecionador.